Três trajetórias e uma stalinização: as memórias de Octávio Brandão, Leôncio Basbaum e Heitor Ferreira Lima no PCB (1922-1935)

Autores

  • Danilo Oliveira

Resumo

Neste artigo se pretende estudar a trajetória de três militantes do Partido Comunista do Brasil durante o período entre 1922 e 1935: Octávio Brandão, Leôncio Basbaum e Heitor Ferreira Lima. Os três militantes viveram a virada stalinista contra a social democracia acontecida no fim dos anos 20, o que teria reflexos em suas atuações no partido. Assim, inicialmente se busca o relato da trajetória de vida desses militantes antes do ingresso no partido. Depois, procura-se entender como cada um desses militantes se envolveu com a linha política do partido. E por fim, procura-se compreender o que significou a stalinização para esses militantes e que consequências esse fenômeno teria para o partido. São utilizadas para esse intuito as próprias memórias escritas por Brandão, Basbaum e Ferreira Lima. Com o auxílio da prosopografia, objetiva-se entender que posições eram ocupadas por esses militantes no âmbito partidário e como as trajetórias desses indivíduos se cruzaram dentro do recorte temporal em questão. Há aqui a tentativa de confronto com a “história oficial”, representada pelo silêncio de Astrojildo Pereira a respeito da stalinização, como faz questão de lembrar Octávio Brandão.

Downloads

Publicado

10.12.2017

Como Citar

Oliveira, D. (2017). Três trajetórias e uma stalinização: as memórias de Octávio Brandão, Leôncio Basbaum e Heitor Ferreira Lima no PCB (1922-1935). Escrita Da História, 4(8), 88–111. Recuperado de https://escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/83

Edição

Seção

Dossiê: Revoluções e movimento operário no século XX