“Os mortos contam segredos”: os cemitérios enquanto documentos/monumentos para o estudo histórico

Autores

Resumo

O presente trabalho condensa esforços no sentido de estabelecer uma reflexão acerca dos cemitérios enquanto lugar de memória e, principalmente, fonte de pesquisa histórica atravessada múltiplas vezes pelas relações de força das sociedades que os produziram. Propomos, em um primeiro momento, refletir sobre as potencialidades oferecidas pelo cemitério enquanto campo apinhado de vestígios do passado e, portanto, uma imensa fonte histórica a céu aberto. Em um segundo momento, torna-se importante apontar alguns problemas do uso inocente dos cemitérios como fonte histórica. Tal reflexão será construída a partir das proposições elaboradas por Jacques Le Goff no seu clássico texto intitulado “Documento/ monumento”.

Biografia do Autor

Mariana Antão de Carvalho Rosa, PPGHIS-UFMA

Possui graduação em História pela Universidade Federal do Piauí - UFPI (2015). Foi bolsista do Programa de Educação Tutorial PET- História (2013 - 2015).Mestra em História Social pela Universidade Federal do Maranhão - UFMA (2019). Atua como professora do ensino médio regular da Secretaria de Educação do Estado do Maranhão SEDUC - MA (2016). Desenvolve pesquisa na área de História com ênfase na História Regional do Brasil. Pesquisa os seguintes temas: História, Memória, Morte, Cultura, Cemitérios e Patrimônio.

Downloads

Publicado

16/04/2021

Como Citar

Rosa, M. A. de C. (2021). “Os mortos contam segredos”: os cemitérios enquanto documentos/monumentos para o estudo histórico. Escrita Da História, 7(13), 77–104. Recuperado de https://escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/216

Edição

Seção

Dossiê: História da historiografia contemporânea: crítica, escrita e historicidade