As campanhas contra a carestia na cidade do Rio de Janeiro e a construção do direito do trabalho na Primeira República

Autores

  • Kaio César Goulart Alves Doutorando em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Resumo

O presente artigo examina a contribuição que as campanhas públicas de protesto contra a carestia, realizadas em 1913 e 1917 na cidade do Rio de Janeiro, legou para construção dos direitos da classe trabalhadora. Isso tendo em vista o contexto de aprovação de algumas leis sociais durante a Primeira República. Parto do entendimento de que as experiências de organização, solidariedade e luta vivenciadas nas campanhas se constituíram como lutas por direitos importantes para a o reconhecimento posterior dos direitos de cidadania.

Biografia do Autor

Kaio César Goulart Alves, Doutorando em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Licenciado (2011) e Mestre (2014) em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Atualmente realiza pesquisa de Doutorado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em que se dedica ao tema do movimento operário na cidade do Rio de Janeiro no começo do século XX. Possui interesses de pesquisa na área História do Trabalho, com destaque para os temas relacionados ao movimento operário no Brasil durante a Primeira República, tais como: campanhas contra a carestia, protesto popular, greves, sindicalismo, cultura associativa e cultura operária.

Downloads

Publicado

31.08.2019

Como Citar

Alves, K. C. G. (2019). As campanhas contra a carestia na cidade do Rio de Janeiro e a construção do direito do trabalho na Primeira República. Escrita Da História, (11), 265–290. Recuperado de https://escritadahistoria.com/index.php/reh/article/view/171